Julião de Freitas

Identificador: 
P-4695
Nome: 
Julião
Sobrenomes: 
de Freitas
Assunto: 
Gênero: 
Masculino
Data de nascimento: 
1547
Lugar de nascimento: 
Olinda
Cristão novo: 
No
Observações: 

Cirurgião em Pernambuco, em 1592. Julião de Freitas era mameluco e cristão-velho. Filho de Gaspar de Freitas, cristão-velho, homem branco e tabelião; e sua mãe era uma "negra brasilia forra chamada Caterina", ambos seus pais já falecidos. Tinha neste momento 45 anos e era casado com a mameluca, cristã-velha, Antonia Fernandes. Natural e morador de Olinda.
Denunciou seu compadre e cirurgião, Fernão Soeiro, cristão-novo. Disse que por volta do ano de 1589 ou 1590 vivia nas casas onde residia naquele momento o visitador o cirurgião Fernão Soeiro. As casas naquele momento pertenciam a sua viúva, Hieronima Gonçalves. Fernão Soeiro nesta época "era homem de meia idade". E que nos anos de 1577 ou 1578 teria presenciado um ato que o cirurgião Fernão Soeiro repetia constantemente durante a missa "quando o sacerdote alçava a Deus alçando a hostia consagrada". Neste momento o cirurgião cristão-novo, de joelhos, começava a bater no peito, e repetia por duas ou três vezes: "eu creio o que creio, eu creio o que creio, eu creio o que creio". Presenciou este ato por diversas vezes e durante algum tempo. No entanto, um dia resolveu perguntar porque ele fazia isso e Fernão Soeiro teria feito um sinal colocando a mão na boca, "como que lhe dizia que se calasse, sem mais lhe falar nada". Depois deste ocorrido teria começado a fazer a Julião de Freitas muitos favores.
Mencionou ainda que Fernão Soeiro estava enterrado na igreja matriz de Olinda. E que era seu compadre de batismo de um seu filho (pág. 376-378).

Cargo ou Função:
Id ATLASCargo ou FunçãoLugarDescrição do LocalDesdeAté
40633CirurgiãoPernambuco
Relacionado a:
PersonagensRelaçãoPersonagensOperações
Julião de FreitasFamiliar → CompadreFernão SoeiroVer Fernão Soeiro