Ítem destacado
Identificador: 
IN-1
Tipo: 
Fecha de Fundación: 
1596
Ámbito: 
Jurisdição sobre todos os mosteiros beneditinos da América Portuguesa: - Mosteiro Beneditino de São Bento da Bahia (1581) - Mosteiro Beneditino de São Bento de Olinda (1586) - Mosteiro Beneditino de Nossa Senhora da Conceição da Capitania do Espirito Santo (1589) - Mosteiro Beneditino de Nossa Senhora da Assunção de São Paulo (1593) - Mosteiro Beneditino de Nossa Senhora de Monserrate do Rio de Janeiro (1596) - Mosteiro Beneditino de Nossa Senhora de Monserrate da Paraíba (1596) - Mosteiro Beneditino do Espírito Santo de Ilhéus (1596) - Mosteiro Beneditino de Nossa Senhora do Desterro em Parnaíba (1643) - Mosteiro Beneditino de Nossa Senhora da Graça, na Bahia (1647) - Mosteiro Beneditino de Nossa Senhora do Desterro em Santos (1650) - Mosteiro Beneditino de Nossa Senhora dos Prazeres, em Guararapes (1656) - Mosteiro Beneditino de Nossa Senhora da Ponte, ou de Nossa Senhora da Visitação, em Sorocaba (1667) - Mosteiro Beneditino de Nossa Senhora de Santa Ana, em Jundiaí (1668) - Mosteiro Beneditino de Nossa Senhora das Brotas, na Bahia (1670)
Miembros: 
Todos os referidos mosteiros e respectivos monges.
Observaciones: 

Criada em 1596 por determinação do Capítulo Geral da Congregação Beneditina em Portugal, transferia para a autoridade do abade provincial, no Mosteiro de São Bento da Bahia, a autoridade sobre todos os mosteiros e monges beneditinos da América Portuguesa. Até o ano de 1600, o abade do mosteiro da Bahia era, também, o abade provincial. O Capítulo Geral da Congregação Beneditina em Portugal em 1600 determinou a separação dessas duas funções, confirmada por um Breve expedido em 1602, dispondo que "o P. prov. do Brasil para melhor fazer sua visitação e acudir às necessidades das casas daquela prov. não será Abade de alguma casa particular senão q. se chame Abade prov. gozando contudo de todas as pereminências dos Abes. da nossa Ordem”

-----

“Porquanto o nosso most. de S. Bento sito na cidade da Baía de Todos os Santos foi o primeiro q. se fundou nas partes do Brasil e a dita cidade é cabeça daquele estado ordenamos que o dito most. seja cabeça de todos os mosts. da província do Brasil, o qual conforme a nossos privilégios da Bula de reformação havemos por incorporados e unidos a esta Cong. de Portugal para q. possam gozar de todos os privilégios liberdades e isenções de q. ela goza, ordenamos que o Abe. Q. for eleito para o mosteiro de S. Bento da Baía de todos [os Santos] seja Abe. Provincial de toda a província do Brasil e q. todos os relig. assim prelados como súbditos lhe obedeçam assim no espiritual como no temporal [...] Ordenamos q. o Abe. prov. q. for do Brasil seja sujeito ao Abe. geral desta Cong. de Portugal e cumpra seus preceitos e mandamentos como súbdito inferior sue q. é como o são os mais prelados e relig. desta Cong. de Portugal e prov. do Brasil.”

[...]

"O Abe. de S. Bento da Baía de todos os Santos possa usar das insígnias pontificais nas festas e dias q. lhe parecer havendo comodidade para isso, e dar ordens menores aos Relig. da Ordem e assim ele como os mais Abes. da dita prov. usarão dos mais privilégios concedidos aos Abes. como é sagrar cálices, benzer ventimentas e corpo-rais e pedras de ara e mais cousas necessárias para o culto divino e [desviolar ou por desinviolar] igrejas, etc."

[...]

"A criação da Província instituiu uma autoridade geral dessa região, o Abade Provincial, previu a realização de uma Junta para elaborar um relatório sobre todas as casas durante cada triênio, determinou a constituição de um Conselho para auxiliar o Abade provincial, ditou a necessidade de se fazer duas visitas do Abade Provincial a todas as casas da província durante o triênio, estabeleceu um noviciado, delegou todos os poderes espirituais e temporais ao Abade provincial, porém não deu ao Conselho e ao Abade Provincial o poder de deliberar sobre os assuntos da província, os quais foram ser tratados no Capítulo Geral até 1656, com a mudança desse estatuto. O primeiro abade provincial da Bahia eleito 'aos 26 Agosto 1596 na sessão da tarde votando nosso Rev. Pe. geral e PP. definidores em Abe. de S. Sebastião da Baía e Provincial do Brasil foi eleito canonicam. no primeiro escrutínio o Rev. P. fr. Clemente das Chagas."

[...]

TAVARES, Cristiane (2007). Ascetismo e colonização: O labor do missionário dos beneditinos na América portuguesa (1580-1656) [Tesis de Máster]. Curitiba: Universidade Federal do Paraná.

Mostrando 1 - 3 de 3
ID Nombre Tipo Fecha Fundación Fecha Extinción Ámbito Miembros
IN-3 Comissariado/Custódia Franciscana de Santo Antônio do Maranhão (subordinada à Província Capucha de Lisboa) Eclesiástico 1617 c. 1889 Convento Franciscano de São Luís do Maranhão Convento Franciscano de Belém do Pará Missões/doutrinas franciscanas no Estado do Maranhão. Todos os franciscanos no Estado do Maranhão.
IN-2 Custódia Franciscana de Santo Antônio do Brasil (subordinada à Província Capucha de Lisboa) Eclesiástico 1584 1649 Jurisdição sobre todos os conventos e missões franciscanas no Estado do Brasil: Olinda (1585), Salvador (1587), Igarassu (1588), Paraíba (1589), Vitória (1591), Ipojuca (1606), Recife (1606), Rio de Janeiro (1606), São Luís (1624), Belém (1625), São Francisco do Conde (1629), Serinhaém (1630), Santos (1639), São Paulo (1639), Itaboraí (1649). Todos os frades menores franciscanos do Estado do Brasil.
IN-1 Província Beneditina do Brasil Eclesiástico 1596 Jurisdição sobre todos os mosteiros beneditinos da América Portuguesa: - Mosteiro Beneditino de São Bento da Bahia (1581) - Mosteiro Beneditino de São Bento de Olinda (1586) - Mosteiro Beneditino de Nossa Senhora da Conceição da Capitania do Espirito Santo (1589) - Mosteiro Beneditino de Nossa Senhora da Assunção de São Paulo (1593) - Mosteiro Beneditino de Nossa Senhora de Monserrate do Rio de Janeiro (1596) - Mosteiro Beneditino de Nossa Senhora de Monserrate da Paraíba (1596) - Mosteiro Beneditino do Espírito Santo de Ilhéus (1596) - Mosteiro Beneditino de Nossa Senhora do Desterro em Parnaíba (1643) - Mosteiro Beneditino de Nossa Senhora da Graça, na Bahia (1647) - Mosteiro Beneditino de Nossa Senhora do Desterro em Santos (1650) - Mosteiro Beneditino de Nossa Senhora dos Prazeres, em Guararapes (1656) - Mosteiro Beneditino de Nossa Senhora da Ponte, ou de Nossa Senhora da Visitação, em Sorocaba (1667) - Mosteiro Beneditino de Nossa Senhora de Santa Ana, em Jundiaí (1668) - Mosteiro Beneditino de Nossa Senhora das Brotas, na Bahia (1670) Todos os referidos mosteiros e respectivos monges.