Relíquia do Lenho da Santa Cruz

Identificador: 
RE-71
Tipo: 
Lugar: 
Cidade de Salvador da Bahia
Fecha Inicial: 
29/05/1575
Observaciones: 

Suposto fragmento da cruz de Jesus, trazido pelos jesuítas em 1575 para a igreja do Colégio da Bahia e venerado como relíquia sagrada. Veio na 15ª expedição de jesuítas que partiu de Lisboa em 17 ou 18 de março e chegou à Bahia em 29 de maio de 1575.

“Esta relíquia do Santo Lenho talvez fosse a alcançada pelo P. Mestre Inácio Martins. Indo a Roma, como Procurador da índia e do Brasil, acabada a incumbência, ‘fêz sua volta pela Alemanha e Flandres, para se prover de muitas relíquias assim para os Colégios do Reino como para os ultramarinos, porquanto naqueles tempos, por causa das heresias, se tinha grande cópia de relíquias retirado a diversos lugares e não era dificultoso alcançá-las’. Compreende-se que numa terra, cujo sobrenome era o da própria Cruz de Cristo, ansiassem os Padres por alcançar alguma relíquia dela. Portanto, indo a Roma o P. Gregório Serrão pediu, em 1576, outra do Santo Lenho, expressamente ‘para consolação da Província do Brasil, terra de Santa Cruz’. O P. Geral respondeu: ‘Escrever-se-á a Viena de Áustria para que se procure haver alguma parte, da Imperatriz; e, havendo-se, se enviará’. A Imperatriz, com licença do Sumo Pontífice, concedeu essa relíquia insigne, do Santo Lenho, ‘que foi de uma das freiras da Alemanha’. Tal dádiva constituía um dos tesouros do Colégio da Bahia. Em 1584, ordenou o Visitador que se colocassem, na capela interior do Colégio, as relíquias dos Santos encastoadas em prata, num grande relicário de Jacarandá e outras madeiras de preço, com 16 repartições envidraçadas e forradas de cetim. Numa repartição maior, ao centro, como que presidindo, um formosíssimo quadro de Nossa Senhora de S. Lucas. [...] O grande relicário inaugurou-se com festas magníficas, no dia da Invenção de Santa Cruz (3 de maio de 1584), e foi tão extraordinário o fervor que, apesar de ser dentro do Colégio, os homens de fora arrombaram as grades e incorporaram-se nelas. A capela interior estava forrada de painéis da Paixão. Todas as relíquias se expunham, nos dias de festa, à veneração pública”.

Fonte: Leite, Serafim, História da Companhia de Jesus no Brasil - Vol. 1 (Tomos 1, 2, 3), p.14.

Personajes Relacionados: 
Itinerario de la religiosidad: 
Motivo: 
Religiosidades
Fecha Inicio: 
1575
Itinerario/Viaje: 
Lisboa
Cidade de Salvador da Bahia
Cómo citar esta entrada: 
SATLER, Fabiano Aguilar. "Relíquia do Lenho da Santa Cruz". En: BRASILHIS Database: Redes personales y circulación en Brasil durante la Monarquía Hispánica, 1580-1640. Disponible en: https://brasilhis.usal.es/es/religiosidad/reliquia-do-lenho-da-santa-cruz. Fecha de acceso: 07/12/2022.