Bula de Nossa Senhora da Vitória

Identificador: 
OB-20
Tipo / Uso: 
Material: 
Folhas de papel.
Origen: 
São Tomé
Tipo de Operación: 
Fecha de Operación: 
c. 1596
Valor: 
Cinco panos songo ou um pano pintado.
Observaciones: 

O clérigo Manuel da Silveira, cuja alcunha era Quitingo, vendia bulas papais entre os dignatários do Kongo. Segundo o cavaleiro fidalgo Jorge Cabral tratavam-se de cópias da “bula de Nossa Senhora da Vitória”. Quitingo conseguiu as cópias do documento pontifício na ilha de São Tomé, talvez por intermédio do bispo D. Francisco de Vila Nova. O clérigo, que era o principal comerciante português do reino do Kongo desde o reinado de D. Álvaro I, na altura da Inquirição estabelecia relações diretas entre o Mbumbe, sua base mais importante, e Mbata. De acordo com Bonciani (2020) isso explica sua preferência em vender as bulas ao mani Mbata e as ter negado para Álvaro II. As páginas da bula, que tinham quatro folhas, eram vendidas separadamente por cinco panos songo ou um pano pintado (“Inquirição de testemunhas”, em: ANTT, IL, l. 776, ff. 68-68v. apud BONCIANI, p. 278). A alta demanda por essas bulas entre as elites do Kongo também sugere que o culto de Nossa Senhora da Vitória, ou do Rosário, já estaria consolidado naquele reino, difundindo-se a partir dele para diferentes regiões da África Centro-Ocidental e também para o Atlântico (BONCIANI, p. 278).

Cómo citar esta entrada: 
Bonciani, Rodrigo F.. "Bula de Nossa Senhora da Vitória". En: BRASILHIS Database: Redes personales y circulación en Brasil durante la Monarquía Hispánica, 1580-1640. Disponible en: https://brasilhis.usal.es/es/objeto/bula-de-nossa-senhora-da-vitoria. Fecha de acceso: 11/08/2022.