Manuel Teixeira de Azevedo

Identificador: 
P-6306
Nombre: 
Manuel
Apellidos: 
Teixeira de Azevedo
Asunto: 
Género: 
Masculino
Lugar de nacimiento: 
Évora
Fecha de defunción: 
31/12/1672
Lugar de defunción: 
Lisboa
Observaciones: 

Médico da Armada Real e da Armada do Brasil. Natural de Évora e filho de Jeronimo de Azevedo de Faria. Estudou Medicina na Universidade de Salamanca (1625-1629). Em 11/02/1632, data da Carta de Medicina, aparece como morador em Évora, mas já constava no ano anterior como Doutor da Armada Real. No ano de 1631, aparece recebendo raçoes do Galeao Santiago de Oliste (31/08/1631), na Bahia; em 13/11/1631 assinava (desde Lisboa) haver recebido 73 raçoes do Mestre do mesmo Galeao; assim como em 31 de dezembro do mesmo ano (no mesmo Galeao). Em 05/07/1635, a Princesa Margarida o nomeava como Médico da Armada do Brasil. Neste mesmo documento consta que assumia como Protomédico da Armada Real do Brasil. Devendo a partir desta data, todos médicos, cirurgioes e barbeiros desta Armada, Tercios e Esquadras, cumprir suas ordens.

Publicou em 1668, a obra Correcção de abusos introduzidos contra o verdadeiro methodo da Medicina : em tres tratados. Nesta obra, na parte inicial comenta partes de sua vida profissional. Além das experiências adquiridas com as curas em enfermos de diferentes lugares e climas (42 anos).

Nos primeiros anos, depois de terminado os estudos, assistiu enfermos no Hospital Real do Castelo de Sao Jorge.
Em 1631, esteve na Bahia, com o cargo de Protomédico da Armada Real de Castela, onde curou mais de 500 enfermos de febres malignas. Em 1635, novamente em viagem com a Armada, que foi do Brasil para as Índias, durante um ano. Posteriormente, durante a viagem de Cabo Verde até a Bahia, na nau Capitania, atendeu mais de duzentos enfermos com câmaras de sangue. Menciona duas batalhas em que esteve nas Armadas contra os holandeses, onde menciona as curas feitas e as atividades cirurgicas efetuadas ("cortei muitos braços, e pernas dilacerados, e gangrenados"). Na viagem da Bahia às Ïndias curou muitos soldados do "mal de Luanda".
Em 1638, esteve em atividades com a Armada na regiao da Catalunha, na restaurçao de Salsas, durante nove meses. Neste mesmo ano teria sido nomeado como Protomédico da Armada Real, substituindo ao Protomédico anterior, Doutor Juan Garcez (03/09/1638).

Em 1640, durante a Restauraçao, abdicou dos cargos aos quais tinha sido nomeado em Castela, para lutar do lado português: – “qual foi minha lealdade Portuguesa, em desprezar todo o sobredito, podendo (como outros se passaram a Castela com portos abertos, que então estavam) ir a lograr tantas honras, e interesses, e os deixei, e perdi, por não perder a Pátria com o timbre de bom, e leal Português” (Correcção de abusos introduzidos contra o verdadeiro methodo da Medicina).

Em 04/03/1649, continua exercendo a medicina, mas como frade da Ordem de Nossa Senhora do Carmo (conseguiu dispensa pontificia para poder continuar exercendo a medicina). Faleceu no ano de 1672, no Convento do Carmo, em Lisboa.

Cargo o Posición:
Id ATLASCargo o PosiciónLugarDescripción del LugarDesdeHasta
40629Médico da Armada do BrasilBrasil05/07/1635
40629Protomédico da Armada do BrasilBrasil05/07/1635
40679Protomédico da Armada RealCastilla03/09/16381640
Referencias Documentales
Referencias Bibliográficas
Cómo citar esta entrada: 
"Manuel Teixeira de Azevedo". En: BRASILHIS Database: Redes personales y circulación en Brasil durante la Monarquía Hispánica, 1580-1640. Disponible en: https://brasilhis.usal.es/es/personaje/manuel-teixeira-de-azevedo. Fecha de acceso: 23/07/2024.