Pero Rodrigues

Identificador: 
P-603
Nombre: 
Pero
Apellidos: 
Rodrigues
Asunto: 
Género: 
Masculino
Observaciones: 

Jesuíta. Visitador de Angola. Provincial do Brasil (1594-1603). Ia como visitador dos jesuítas para Angola, acompanhando a comitiva do governador D. Francisco de Almeida. Se desviou desta em alto-mar, desembarcando na Bahia, onde participou da Congregação da SJ que, entre outras coisas, defendeu a continuidade do sistema de amos. Acabada a reunião na Bahia, partiu para Angola, aí chegando no dia 11/3/1593. Foi designado pelo padre Pero da Fonseca, visitador da província de Portugal, e do padre João Álvares, provincial de Portugal. Foi acompanhado do padre João Lopes e do irmão Jorge de Sequeira, em outra urca seguiam os padres Aires Botelho, Pero Barreira e o irmão Gregório de Oliveira. O documento que designa Pero Rodrigues como visitador data de 4/1/1592. A visitação durou cerca de um ano e incluiu a vila de São Paulo de Luanda e Maçangano. Suas orientações se dirigem aos padres “antigos e de experiência da terra”: Baltasar Afonso, Jorge Pereira e Diogo da Costa. A “Visita da residência de Angola”, datada de 14/5/1594, faz 34 recomendações, a maioria tange a questões espirituais, algumas referentes ao relacionamento e comunicação com o bispo de S. Tomé e com o rei, dentre os itens destaco: 10 Sobre o casamento dos escravos e “oferecendo alguém alguma coisa de momento para a companhia, como escravos e coisas semelhantes, aceitá-las-ão”; 15 “Tenha-se muito tento que a amizade com o governador e capitães não seja ocasião para os nossos se meterem no governo secular.”; 23 “E sendo caso que entre estes bens nos queiram deixar algum soba (pressupondo que sua Majestade os largue aos conquistadores que os tinham, como se espera) em nenhum modo se aceitará. Porque pode por tempo crescer tanto o número deles, que venha a ser justa matéria de escândalo ao Povo e ao Rei e também aos herdeiros dos ditos defuntos, que quando menos se cuida, aparecem.”; 24 “Os escravos que nos deixam pessoas seculares (...) parece melhor vendê-los.”; 26 Em nenhum modo se conceda o sacramento do santo batismo a nenhum fidalgo em Angola, (...) até a terra estar conquistada e sujeita.”; 27 Comunicação por via do Brasil; 28 “Não deviam os nossos andar na guerra ordinariamente. Mas podem lá ir”.

Cargo o Posición:
Id ATLASCargo o Posiciónorden descendenteLugarDescripción del LugarDesdeHasta
0Visitador de Angola15921594
0Provincial da Companhia de Jesus no Brasil15941603
Universidad de Salamanca
Ministerio de Economía y Competitividad
Datos cartográficos de Atlas Digital da América Lusa